28 de Maio de 2010

 

Quinta-feira, 27 de Maio, um dia de grande ansiedade por parte dos fãs portugueses dos Muse. O tão esperado dia do concerto no Rock in Rio Lisboa! As pessoas vinham de todos os pontos do país, inclusive das ilhas da Madeira e dos Açores, e alguns até de outros países, para ver os cabeças de cartaz.

A espera começou cedo, por volta das 9 horas já os fãs acampavam à porta com a esperança de um lugar na primeira fila para o tão esperado concerto.

 


 

A abertura das portas deu-se às 16 horas e seguiu-se a correria até às grades.

 

Por entre muita diversão por todo o recinto, os fãns dos Muse esperavam anciosamente pelo final da noite, sempre sem perder o lugar.

Também nós, musePT, estivemos por lá.

 


 

Depois de algum tempo de espera começou o concerto da primeira banda, Fonzie, que vieram substituír os Sum 41 devido a um acidente acorrido com o baterista da mesma banda. Por entre alguns encontrões e empurrões, o público cantou as músicas e os Fonzie agradeceram o apoio.

 


 

Seguiram-se os Xutos e Pontapés, que logo juntaram uma grande quantidade de pessoas junto ao palco, e em unissono cantaram as suas mais famosas músicas, como "Maria", "O Homem do Leme" e até "Dia de S.Receber".




A banda deixou o palco acompanhada por um forte aplauso e deu depois lugar aos preparativos para a seguinte banda a actuar, os Snow Patrol.

 

 

A banda de Gary Lightbody entrou em palco às 22 horas em ponto e não desiludiu. Agradeceram a recepção em Portugal e afirmaram que somos um grande público.

 

 

Gary não escondeu o seu sorriso ao ouvir o Parque da Bela vista a cantar consigo "Run", uma das baladas mais adoradas dos Snow Patrol.


 

Chamaram também ao palco a famosa artista portuguesa Rita Redshoes, com quem cantaram um dueto.

Assim que a banda se despediu, começou o suspance final. Era tempo de Muse.

 

O recinto ficou completamente coberto por uma multidão de cerca de 83 mil pessoas, famintas por rock.

Os 30 minutos de espera variaram entre a excitação, o êxtase, e a felicidade.

 

Os Muse trouxeram um novo palco e algumas outras novidades que iriam ser reveladas em primeira mão no Rock in Rio.

 

Assim que se viram os primeiros sinais de fumo, Chris Wolstenholme, baixista, entrou em palco, com um fato branco e um cachimbo, tal e qual como na antiga época do Hullabaloo.

 

 

Seguiu-se Dom, que cumprimentou logo o público português com um "Cheers" e Matt Bellamy, que exibia um fato exuberate nunca antes visto e os já habituais óculos azuis, que combinavam perfeitamente com a sua adorada Gliteratti.

 


 

O concerto abriu, tal como na passada terça feira, com "MK Ultra", acompanhada por um enorme estrondo de fogo de artifício.

 


O êxtase deu-se logo desde os primeiros minutos, seguindo o solo de Matthew que contagiu todo o público para depois seguirem para "Map of the Problematique" e depois "Uprising", que fez com que se ouvisse com toda a força o refrão "They will not force us, they will stop degrading us, they will not control us, we will be victorious" acompanhado por punhos no ar que convenciam qualquer pessoa de que naquele momento era revolucionário.

 

 

Seguiu-se depois  "Supermassive Back Hole" que pôs o Parque da Bela Vista todo a cantar. Matt utilisou a nova manson de dois braços pela primeira vez num concerto em público. O novo single "Neutron Star Collision" foi a música que deu continuidade à setlist, esta também bastante bem acolhida pelos fãns mais novos da banda, sendo que é uma música que faz parte do novo filme da saga Twilight, cujo estilo não agrada tanto aos fãs mais antigos.

 

Stockholme Syndrome" abriu o espírito do rock no seu estado mais puro, seguindo-se depois pelo jam de bateria e baixo com "Nishe". Matt volta à carga no piano com "United States of Eurasia" e foi possível ouvir o público gritar "Eurasia, sia, sia, sia!" como se não houvesse amanhã.

O recinto estava ao rubro, e foi então que se ouviram os primeiros acordes de "Resistance", uma das novas músicas dos Muse mais acarinhadas pelo público.

 

Assim que Matt pousou a guitarra e agarrou no keytar, já todos sabiamos o que nos esperava, "Undisclosed Desires" deixou no ar um clima romantico e os raios laser verdes prepararam a multidão para o que vinha a seguir. "Time is Running Out", "Starlight" e "Plug in Baby" fizeram a ponte para o Encore da setlist na explendida noite te 27 de Maio.

 

Mas ainda nada tinha terminado. Dominic voltou com uma bandeira de portugal às costas, que depois colocou em cima da bateria para uma interpretação de "CITIZEN ERASED", sim, é verdade! A música que tantos fãns esperavam foi escolhida para a setlist do Rock in Rio depois das votações na pool no site dos muse.

 

Matt entrou com a 7 strings e o público mal podia acreditar, para muitos, um sonho tornado realidade.

 

 

"Interlude" foi a introdução ao hit "Hysteria", que veio depois preparar o grande final com o intro "Man With a Harmonica", o final estava a chegar. "Knights of Cydonia" provocou o êxtase total, todo o recinto ficou ao rubro e celebrou este concerto cantando com todas as forças e como que numa única voz "No one's going to take me alive, the time has come to make things right, you and I must fight for our rights, You and I must fight to survive".

 


 

O espectáculo terminou com grandes explosões de fumo,que com certeza deixarão saudades de todos. Os Muse agradeceram mais uma vez,  e  deixam gravado na nossa memória um "Sim, nós adoramos Portugal!".

 

Um grande concerto para relembrar para sempre.

 

 

Clica nas músicas para ver as gravações do concerto:

 

Setlist:

1.MK Ultra

2.Map of the Problematique

3.Uprising

4.Supermassive Black Hole

5.Neutron Star Collision (Love Is Forever)

6.Stockholme Syndrome

7.Nishe

8.United States Of Eurasia 

9.Resistance
10.Undisclosed Desires
11.Time Is Running Out
12.Starlight
13.Plug In Baby


Encore:

14.Citizen Erased (Uma das músicas mais votadas)
15.Interlude + Hysteria
16.Knights of Cydonia

 


 

 

 


Agradecimentos e direitos de autor: fotografias por Manuel Lino/IOL, Rita Carmo/Espanta Espíritos - Blitz e José Sérgio/SOL

Agradecimentos a Inês Freitas e X_Alien

 

Texto por Inês Leal

Equipa MusePT

publicado por muse.PT às 21:06
Viva,

São muitos comentários a fazer, mas tenho tempo para alguns...

(São honestos, de um grande fã de Muse. Sem ofensa a ninguém)
O primeiro é em jeito de pergunta...as crianças nas primeiras fotos não tinham que estar na escola?...enfim.

A abertura com a MKULTRA foi um "espanto" para o publico? Eles abriram com a MKULTRA dois dias antes em Paris, porque é que é havia de ser assim tão inesperado cá?

"O novo single "Neutron Star Collision" (...) esta também bastante bem acolhida pelos fãns", desculpem, mas os fãs (de muse) não se ouviuram de certeza, porque outros fãs (do eclipse) estavam a fazer gritaria estridente.

O publico mal podia acreditar que aí vinha a Citizen?!? Mais uma vez...como?! foi votada na pool oficial é obvio e claro que iria ser tocada. Mas nem os proprios editores deste espaço lêm as noticias da banda?

Por fim, gostava também de dizer que a setlist foi medíocre... A escolha era super previsível. Eu acertei 100% na previsão. Se calhar jogo na lotaria esta semana!

Acreditem, eu sou um dos maiores fãs da banda que podiam conhecer, mas há que admitir que os tempos não são os melhores. A escolha das músicas foi má e a actuação não teve nada a ver com o que era (se é que sabem a que me refiro).

OldSchool Fan a 28 de Maio de 2010 às 23:55
Bem, quanto à resposta ao teu comentário, respeito a opinião, tens razão em relação à MK ultra, eu sei que eles a tocaram em paris, mas foi surpreendente porque eles nunca a tinham tocado num concerto público, sendo que o de paris era privado, foi isso que eu quiz dizer com aquela frase.

o novo single, sim, esta perfeitamente claro que a maioria dos FÃS de muse não gostaram muito da música, e o próprio matt disse que a fez com intenção de atingir um certo publico alvo que nao tanto o nosso, nao se pode agradar a todos. Foi bem acolhida pelos fãs porque muita gente a cantou na mesma no concerto, independentemente de gostar ou nao.

E não, o público não acreditava que vinha ai a citizen, foi uma das mais votadas sim, eles disseram que iam escolher entre uma e cinco, nao que iam escolher a maiso votada. mesmo assim, ontem quase ninguem acreditava que tal coisa fosse possível.

Quando dizes que a setlist foi mediocre, estas a comparar provavelmente às setlist que eles tinham pra ai em 2004/2005, porque a partir daí começaram a virar para starlights e Supermassives pois as musicas começaram a ficar mais comerciais... e o que é que o publico quer ouvir? Pois, o publico quer ouvir o que conhece, pelo menos a maior parte dele.
Se comparasses esta setlist às setlist que eles têm tocado na resistance tour, provavelmente nao a acharias mediocre, pois até tiraram musicas como a guiding light que sinceramente acho que nao tem lugar numa setlist de uma banda como os muse.

Quando te referes que a actuação nao e o que era provavelmente estas a relebrar a época aurea do origin of symmetry e por aí, destruição de palcos e extase total, pois, agora a vida está cara :p
Pois, mas eles agora até andom a ficar um pouco mais "rebeldes", nesta tour tem sido tudo muito paradito, o que interage com o publico sao no fundo os efeitos visuais que eles têm, que sao fenomenais. Tirande umas coisitas que o bellamy faz, arrasta-se pelo chao, faz uns riffzitos e tal, mas isso no e propriamente uma interacção aserio, na minha opiniao.

No entanto, eu gosto dos muse assim, sendo que sou uma fã mais "recente" e não apanhei os primordios da banda. Mas é claro que tenho noçao que antes eram muito melhores, só que só presenciei a fase que eles estao a passar agora, por isso sinceramente nao acho que seja ma de todo.
O que me chateia ainda mais é que, obviamente, ainda há novos fãs, que apreciam bem Muse (aparentemente o teu caso), que sabem o que era Muse no passado MAS o pior é que se conformam com o que têm.

Está mal.

Eles ouvem o publico. E é por ouvirem que respondem ao pedido da "pimbalhada". (Eu sei que sabem ao que me refiro). Por isso em vez de cruzar os braços e ouvir, façam barulho!

Muse era uma banda de Rock Alternativo (musicalmente e no que toca à postura). Hoje está a um fio de o deixar de ser a ambos os níveis.

Não deixem acontecer.

Eu detesto DZRT's, Xutos's, e afins mas prefiro que os fãs desses estilos se fiquem por aí. Não chateiem o "nosso lado da música".

Eu sei que este blog é visitado maioritariamente precisamente pelos "maus" fãs a que me refiro. (sem ofensa: nomeadamente, raparigas entre os 13-17 anos). Mas ainda assim, dos outros que lêm isto....

Seguem o meu raciocínio?
O que nós mais temos feito é barulho para tentar mudar isto, e à custa disso já mudaram um bocadinho.

Nós, os fãs mais novos de portugal que gostam mesmo dos Muse têm tentado arranjar alternativas para, pelo menos, mostrar as pessoas o que eles eram e aquilo em que se tornaram, inclusive levar para os concertos cartazes a dizer "we want the old muse" em vez de "love is forever", e coisas do genero, que é para ver se eles entendem que depois deste pico de fama que tiveram, já estava na horinha de voltarem um pouco às origens, podem inovar e ser criativos, sim, mas sem exagerar, que foi o que acabou por ser o resistanace, é bom, mas nao e a mesma coisa, deixa um pouco a desejar.

Vou ser sincera, eu, que sou a criadora deste blogue, tenho apenas 17 anos, é verdade, mas a minha maneira de pensar sobre música já não é assim tão básica quanto isso, e no que toca a muse particularmente por ser a minha banda de eleição.
O meu album preferido é o absolution, o que reflecte um pouco o meu gosto musical, penso eu. Tal como a maioria das pessoas, estes ultimos albuns deixaram um pouco a desejar, e eu sei que não devia ser assim mas é uma questao de habituação... depois de se ouvir algumas vezes uma pessoa habitua-se.

Mas por exemplo, na musica do twilight, opá, não entra nem por nada. Aquilo foi puramente feito para ganhra dinheiro, e sinceramente isso nao me diz nada, se este fosse o teor e o objectivo de uma banda como os muse, poderiam ganhar muito mais dinheiro do que o que ganham a fazer bandas sonoras para filmes de adolescentes em vez de andarem no mundo do rock e serem considerados uma das melhores bandas ao vivo do mundo.
Eles não precisavam disto.

Mas acho que depois desta fase eles vão acalmar um bocado. Com isso provavelmente vão perder "fãs", mas até vai ser melhor para voltarem a fazer uma coisa decente, como as pessoas têm esperado já durante alguns anos.
Até acredito, mas vê-se muito pouco. Cada vez é tudo mais inútil.

Bem..no fundo já não deve haver muito para fazer... a partir do momento em que já há miudas na fila desde as 9h, ou põem os paizinhos a guardar lugar no atlantico (como em Tokio Hotel, sim eu disse Tokio...blheeh!), o album topo do top+, reclames com o album, os singles deles em tudo quanto é sitio (até nos genéricos da SicNoticias, por amor de Matt!!), 2 visitas em menos de meio ano (na feira de lata que é o Rock in Rio).

Mais tarde ou mais cedo la editam um album mais "rebelde" virado prás origens! Falta saber se nessa altura já todos se esqueceram e voltaram para a nova banda que aparecer até lá, ou se dum estalar dos dedos a "malta" vai passar a gostar também daquela onda. Isto é tudo muito complicado :)
boas... concordo com algumas coisas mas discordo de outras... os tempos mudam, não podemos viver só do passado, diz-me lá a tua logica da batata a banda lançar novos albuns e ir para os concertos tocar as faixas antigas?? sem nexo... sim a banda está diferente mas isso é normal... quanto à neutron star collision, não acho tão má como isso, e não, ele não a fez para o filme,,, ela já estava feita há uns bons meses antes, foi feita mal ele acabou com a namorada, logo não foi para o filme, como ele diz é uma musica de dor de cotovelo, pois quando estamos no inicio de uma paixão é tudo mt "amo-te para sempre" bla bla bla... isso é uma raridade de existir. eu nem faço a ligação ao raio do filme. E ao vivo a musica não é tão má como a pintam, então o inicio é mt bom. Mas é assim, não podemos viver só do passado, hj o matt está mais maduro, já não se veste à gótico, veste-se à estrela... os tempos mudaram. mas continuo a pensar... mas queriam mesmo que a banda andasse a tocar sempre os temas mais antigos em vez de promover os novos? sem nexo mesmo... os temas que parecem que vão ficar praticamente nas setlist por muito tempo são tiro, pib, starlight e koc... quanto a mk ultra, ontem acho que deu um salto mt mt grande... a intro foi mt boa, n pensei que houvesse melhor que a we are the universe como no atlantico mas esta foi mais simples e o fogo de artificio não estava á espera e combinaram uma grande intro. quanto à melhor actuação deles em portugal, a opinião foi unanime, em todas as noticias, sem olhar para a setlist que isso vai do gosto de cada um, mas a entrega foi fenomenal, o matt estava endiabrado com as super-guitarras, fez cá tanto ou melhor do que fez no haarp, e guitarra de 2 braços?? e mais uma gliteratti mandada ao ar?? a dançar com a sombra frente ás colunas e a rasgar a guitarra... muitos momentos que não é todos os dias que se veem e ontem vimos o que a maioria não viu. o publico esteve ao rubro mas acho que o publico do atlantico estava mais possuido mesmo sendo só 18 mil.
DarkScorpion a 29 de Maio de 2010 às 05:02
Olá.Eu concordo com DarkScorpion.
Vou ser sincera, tenho 14 anos, a sou fã de muse há pouco. comecei por ouvir Uprising, Undisclosed Desires, que são as que mais se ouvem em rádios. Depois interessei-me a fundo pela banda: pesquisei o passado, os albuns antigos, as origens, etc. E comprei todos os albuns, e oiço todos. Admito q o meu preferido e o origin of symmetry. O The resistance, é um album, na minha opiniao, diferente, eles proprios, a meu ver, estao diferentes, mas isso acontece com qqer banda, os tempos mudam, as pessoas mudam, a maneira de ver as coisas muda, e talvez por isso é que muitas das pessoas acham que eles estão mais comercias. isso é a opiniao de cada um, eles limitam-se a fazer musica, que é o que fazem para viver, e nós, fãs, temos que nos sujeitar, e tentar gostar, mesmo que nao queiramos. Eles sao uma banda fenomenal, e disso acho que não há discordia nenhuma entre os fãs. agora, é normal que as pessoas gostem mais de um album, do que de outro. de uma fase da carreira do que ouutra. mas isso existe sempre.
Acho que OS FÃS, ou melhor, os VERDADEIROS FÃS, mesmo que digam q nao gstam de uma ou otutra musica, devem respeitar as novas musicas. E apoiar a banda. Eu, pessoalmente, gosto imenso da NSCollision, acho que o inicio está muito bem conseguido, e que é sem duvida, uma grande musica. mas n se comprar à TIRO, à PIB, etc. E não,a musica nao foi feita de proposito como muita gente acha.


No RiR foi a primeira vez que os vi ao vivo, e adorei (acho q tda a gente adorou...).

Em relaçao, ao facto de dizerem q os fans mais novos so gstam deles por causa das musicas do twilight... acho isso um absurdo.
Eu sou fã da saga, e nao é por isso q gosto deles. Claro que isso de as musicas deles aparecerem em filmes para mais novos, faz com q hajam mais fas, claro que sim... mas nem tudo é assim.

Tenho muito gosto em andar na rua com uma blusa a dizer MUSE, por mais nova que seja.
Digam o q disserem, eles serao sempre a minha banda de eleiçao.
Cara ilovemuse,

Cá vai: primeiro de tudo, não te vou menosprezar por teres mais ou menos metade da algumas nas nossas idades. Contudo, apesar de bem escrito, as tuas ideias não estão bem expressas. Estás de acordo com o DK, mas em quê? Com tudo? ou algumas coisas?

Mas o teu post lembrou-me de uma coisa que eu nunca disse: ATENÇÂO eu não acho o Resistance fraco! O album tem músicas que considero de Top. Mas não é tão coeso como eram.

Mas é incontornável que o facto de teres 14 anos e seres fâ há pouco tempo nao deixe dúvidas que tu simplesmente não sabes o que eram os Muse antigamente. Do ponto de vista do espectaculo ao vivo, mas provavelmente não terás ainda o conhecimento musical suficiente para saber a que me refiro (nas músicas). Por isso não devem dizer da boca pra fora que foi a melhor actuação ou que por ouvirem os albuns antigos sabem que a banda não mudou ou que está melhor.
Eu concordo em tudo, no comentario de DK.
Eu posso nao ter ido aos concertos anteriores, e nao fui, mas nao deve por em causa o meu conhecimento musical. é muito mais amplo que a maior parte dos jovens da minha idade.
MuseFansPT a 29 de Maio de 2010 às 12:48
Caro Dk,

Cá vai:
1/3 do post a falar da Neutron Star, da qual eu nem discuti nem vou discutir. O que disseste sobre a música não é novidade para ninguém.

Não se trata só de não tocarem as músicas antigas. É a escolha das músicas. Eu acertei 100% na setlist. Sabes o que isso significa??? Do momento que soube que vinham ao RIR que desenhei a set list. Foi só acrescentar a Neutron Star, e BUM! Se ouvesse apostas estava rico. Desapontamento. Eles vão SEMPRE ao absolution, certo? Porque não uma TSP de vez em quando? E já nem estou a ir longe, é só o absolution.

Os tempos mudam. Têm mesmo que mudar? eu nunca fui contra a mudança de estilo, porque isso pode "esgotar", ou "cançar" mas a mudança foi DRÀSTICA e a todos, eu digo TODOS os niveis. E o pior é que quem mudou mais foi o Matt o que obviamente tem um resultado muito maior no output da banda. O Dom não mudou muito, e o Chris também não (notou-se um bocado a partir do BHAR...). Bom, mas o que eu quero dizer é que em 2 anitos ficaram irreconheciveis, para que os conhecia bem.

Agora, desculpa mas aqui não te vou poupar...(mas não faço mal a ninguém :P)

Melhor actuação em Portugal. Foi.....unânime...UNÂNIME?? por quem? pelas centenas de pessoa que votaram na Undisclosed Desires na pool oficial? Pelos jornalistas (dessas noticias) que dizem que o RIR é o maior festival de música do mundo?(até dá pra rir)
Por mim, e por quem eu sei que gosta não foi de certeza. A manson de 2 braços, sim foi um toque engraçado e novo, mas isso não salva uma actuação. Atenção, eu não estou a dizer que foi mau, longe disso, estou só a dizer que não foi o melhor.

O factor surpresa foi 0. Pronto, 0.5 (por causa da guitarra). Como já disse a setlist foi uma piada (nem por estarem meninas e meninos inverbes com cartazes a pedir "pipocas"). O cenário não é o melhor. Eu não ligo às roupas (lol) ma já agora as fatiotas eram bem "pimp"! Havia muito mais por onde pegar, em relação aos outros concertos, mas tudo se resume principalmente à actuação. E quem foi aos outros sabe disso.

Se isto foi o melhor em Portugal, então... é rezar que daqui a 4 mêses voltem!!
Pois, cada um tem a sua opiniao, e aquela é a minha.

Cada um gosta do que gosta.
MuseFansPT a 29 de Maio de 2010 às 12:43
Boas!

O problema para nos ( que gostamos de muse como "antigamente") é que fomos mal habituados!

Sou sincero.. já não senti aquele nervosismo como em 2006 no campo pequeno enquanto esperava na fila, enfim, temos que nos habituar.

Dos 4 que já vi este foi sem duvida o que menos gostei, mas sabes como é, quem viu a primeira vez não duvido que tenha sido o concerto da vida deles.

não me importava de la ter ido só pra ouvir a citizen erased!

Ainda sonho que eu dia eles façam um concerto daqueles à showbiz ou à origins "... o que vale é que ainda vi um :D

Muito bom comentário, este e os outros abaixo!

Rui Silva

Rui a 30 de Maio de 2010 às 00:52
amigo OldSchool Fan
tb estava á espera de uma setlist similar... e até pensava que ia ver praticamente o mesmo do pavilhão, o rock in rio n tem assim um palco e condições tão grandes como isso, os lasers do pavilhão batiam aos pontos os do rock in rio... os ecras em exagono até foi uma boa surpresa... quando te digo que foi a melhor actuação em portugal n me refiro claramente à setlist... mas quinta o matt estava com a pica toda de f$$#& aquelas guitarras... deu show, estava a 2 duzias de metros e aquilo é arte. no pavilhao n fez aquilo, e gliteratti ao ar... alguma vez viste? eu não... guitarra de 2 braços?? tb não... são pequenos pormenores que surpreenderam, o publico sinceramente acho que não foi melhor que 17 mil no atlantico mesmo que no atlantico estivessem os vampirinhos... sim tenho pena de não ouvir musicas mais antigas mas respeito a banda, sei que quando estiverem com os anos de carreira como os xutos iremos ver alguns concertos com os best of e isso sim vai-me dar mta pica... eles simplesmente não mostram tudo, vão guardando mt ... olha os japunocas que levaram com a dead star... nós levámos com a citizen erased por causa da votação. e estou contente com isso
DarkScorpion a 29 de Maio de 2010 às 13:05
Caro DarkS.,

Mais uma vez falas claramente como de nada soubesses. Por favor, não leves a mal, mas é verdade.

-Tirando a manson de 2 braços (o que não é assim tão espectacular[eu até nem gosto]) as guitarras dele que eu saiba não adicionaram nada de novo ao espectáculo. É verdade.

A Gliteratti ao ar? já é quase imagem de marca! (+ do que uma vez pensaram que ficou mesmo sem ela lol)

O problema está obviamente quando dizes "alguma vez viste?" Eu já! tu é que não. Se voces só viram 2 concertos (diga-se, num espaço de 6 meses) como acham que podem dizer se é ou não o melhor?

Achas que o matt deu show? Amigo, ele não fez nada. Nada mesmo. Só porque se passou um bocado com a guitarra, não é nada em comparação.
Entrar em detalhes ia ser muito longo, por isso se tiveres (tiverem) oportunidade, pergunta a alguém que realmente os conhece ao vivo que verás que falo verdade! E só ainda estou a falar das actuações em Portugal, porque se passar daí, então, tens mesmo que muito que "descobrir" sobre Muse ao vivo :)
Pessoal, se quiserem ver algumas fotos que tirei no concerto dos Muse e afins (Xutos, Snow Patrol e Fonzie), visitem: http://www.flickr.com/photos/48288722@N07/

Muse ---> http://www.flickr.com/photos/48288722@N07/sets/72157624035356861/

Foi o melhor que consegui, visto que desmaiei a meio do concerto dos Snow Patrol, por problemas de saúde, e os seguranças me tiraram do meio do público. :/ Mas lá consegui arranjar um lugar decente para ficar. :)

xDDDD
Ana Mendes a 29 de Maio de 2010 às 17:26
Parabéns pelas óptimas fotografias e obrigada pelo link! (:
muse.PT a 29 de Maio de 2010 às 22:59
Antes de mais, parabéns pela reportagem! Também tirei fotos e fiz três vídeos completos, e alguns apanhados de poucos segundos, mas a minha técnica é tão má e tinha tantas “estacas” à minha frente, que além de ser quase tudo retirado do ecrã gigante que estava perto de mim, a qualidade é bastante má. Mas eu já sabia que havia de haver repórteres verdadeiramente dedicados junto ao palco, para compensar as minhas falhas.
OBRIGADA, malta!
Já vi que a apreciação do concerto está a dar polémica entre fãs antigos e os mais recentes, mas é uma situação inevitável. Mais do que de perspectiva, é uma questão de circunstância, penso eu. Pessoalmente, adorei o concerto, e tendo apenas o do P.Atlântico como comparação, gostei mais deste, achei-os mais espontâneos, pareciam mais felizes e com mais garra, e por isso achei o concerto bastante mais emocionante.Por isso, e para mim, foi o melhor concerto deles cá!
Se gostei da setlist? Bem, gostaria imenso de ouvir ao vivo músicas mais antigas, como S.for Absolution, Cave ou Sunburn, só para citar alguns exemplos, mas como só agora “apanhei o comboio”, não creio que isso vá alguma vez acontecer.
E falo em apanhar o comboio agora porque não sou uma fã nova - sou novíssima (não em idade, que estou mais próxima dos 30 que dos 25…lol). E assumo, se não fosse a S.Meyer, se calhar ainda não era fã deles. Isto porque embora conhecesse algumas músicas, os Muse faziam parte de daquele conjunto de diferentes artistas que eu vou tendo arrumados numa gaveta mental, “para um dia conhecer melhor”. Não fiquei grande fã da saga, li uma vez e está lida, mas uma coisa me intrigava, a reverência que a autora parecia ter pelos Muse, e, pensei “É desta, vou procuarar mais coisas deles”. Nem de propósito, dali a uns meses, saiu o The Resistance, e daí a comprar os CD’s anteriores foi um tirinho. E fui-me apaixonando, e a admiração por eles foi crescendo. Não posso dizer que esteja ainda familiarizada com toda a obra, porque não estou, ainda me faltam peças importantes como o Hullabaloo, e o dos B-sides and Rarities, mas de qualquer maneira, Muse é para se ir saboreando aos poucos, só assim se consegue conhecer. Não sinto que eu valha menos enquanto fá por causa disso.
Por tudo isto é que às vezes me aborrecem as generalizações em relação à questão Twilight, e à malta mais nova. Mas não sou de ferro, também me irritei quando 2 dos putos à minha frente depois de ficarem em êxtase com a Starlight e a SmBHole, ficaram a olhar para C. Erased como bois s olhar para um palácio. Mas depois pensei, “Ora bolas, não será uma felicidade para os Muse ver 80 e tal mil pessoas a vibrar com as suas músicas, serem elas quais forem, do que ter apenas algumas centenas a entrar em transe com a C. Erased? Acho que qualquer artista se deve emocionar perante um momento mágico desses. Eu emocionei-me, e não eram a MINHAS músicas. Por muitas implicâncias pessoais que eu tenha com ela, também eu me deixei ir na onda e berrei a NSC a plenos pulmões!
Eu percebo os fãs antigos, e de certeza que no lugar deles eu me sentiria assim - um ex: quando fui ver os Coldplay a Barcelona, muita malta à minha volta parecia estar lá só à espera para cantar a Viva la Vida, e isso deixou-me bastante contrariada, mas que, quando o momento chegou, foi emocionante, lá isso foi!
Acreditem que tenho pena, muita pena, em que só recentemente os Muse tenham entrado na minha vida. Mas é um amor que espero que dure muito tempo.
E vamos ter esperança que, a mudar, não mudem radicalmente de estilo e de filosofia. Mas, se isso acontecer, antigos fãs, não deixem de lhes prestar a homenagem que, a meu ver, merecerão sempre. Quem nos conquista uma vez, merece sempre o nosso carinho, e, quanto mais não seja, por tudo o que nos fizeram sentir, a nossa gratidão.


(desculpem o post enorme e atlavez um pouco confuso, mas tenho encontrado por essa net fora tantos antigos fãs revoltados que até insultos eu já li. Desde que o The Resistance saiu que muitos pensam que simplesmente, os Muse agora não valem nada e são uns cromos. Como devem imaginar, eu que não conheço outra era, e fiquei tão entusiasmada com o concerto, fico bastante triste com esses tipos de comentários, tive que desabafar!)
Paulex a 29 de Maio de 2010 às 19:02
Paulex, concordo pleanemnte com tudo o que escreveste, expressaste exactamente aquilo que eu senti perante o concerto do rock in rio. é obvio que saí de lá muito feliz, mas um pouco revoltada com a citizen erased, pois é uma música demasiado épica para ser ignorada como foi, enfim, revoltou-me imenso esse momento, mas acho que de facto quem o presenciou com alma teve provavelmente uns dos 7 minutos mais profundos da sua vida.

O que disseste também em relação aos coldplay, é semelhante com o que aconteceu, por acaso coldplay é outra das minhas bandas preferidas, juntamente com muse, radiohead e queen, e entendo perfeitamente o que dizes pois as pessoas actualmente seguem o que ouvem nos media e não exprimem sequer curiosidade em querer saber mais acerca das carreiras das bandas que ouvem. é outro aspecto que me revolta bastante.

Não gosto muito de generalizar quando afirmo que a época em que vivemos está em decadencia musical e cultural, sendo que a maioria dos jovens hoje em dia não se interessa minimamente por cultura ou qualquer arte, e os que o fazem, por vezes nem sabem do que falam. é algo triste de se presenciar, sou também jovem, tenho 17 anos, e ao ver tudo isto crio uma especie de generalização do que me rodeia.

A razão porque gosto de Muse é provavelmente porque quando os conheci - 2005/2006 - relembraram-me algo que eu nunca tinha ouvido, que era uma inovação no mundo da musica mas com influencias de rock mais antigo, de musica aserio! Ora ai esta o motivo do desgosto quanto ao resistance... não é que não goste, é apenas algo que deixa a desejar. O meu album preferido dos Muse varia entre o absolution e o origin of symmetry, penho imensa pena de nao ter nascido mais cedo para poder presenciar os espectaculos da tour desses albuns. O que é agora para nos uma raridade era naqueles tempos aureos uma constante.

Concordo plenamente com a ultima parte do teu texto em que explicas que devemos pelo menos gratidao a tais artistas, são pessoas grandes, génios no mundo da música, independentemente de gostarmos mais ou nao dos ultimos passos que deram, foi algo que nos marcou e provavelmente nos fez pensar a todos. Provavelmente nunca esqueceremos estes concertos que vimos ao vivo, independentemente de terem sido os melhores ou nao, é obvio que todos assistimos a concertos em epocas diferentes, nao pedimos para nascer mais cedo ou mais tarde. é algo marcante independentemente da época.
Sorte têm as pessoas que assistiram a tal espectaculo seguras de que foi uma experiencia profunda e tocante como a citizen erased ao vivo, quem não o aproveitou só fica a perder.


(peço desculpa pelo post enorme, e por toda a minha revolta xD)
exactamente.
márinho a 29 de Maio de 2010 às 23:07
É obvio que nunca deixarei de gostar deles :)
É e vai ser sempre a minha banda. Só gostava que não mudassem tanto. Quanto ao coment do Paulex, só me ocorre uma coisa....não me surpreende que já estejas mais "para lá do que para cá" (se é que me entendes lol). Não há volta a dar, a mentalidade dos jovens (novos) é muito diferente.
lol... OldSchool Fan, gostei dessa da mentalidade dos jovens novos... eu cá às vezes já me sinto fazer parte dos joves cotas... Só pela maneira como ontem ainda estava toda partida do RiR (é verdade, sou uma gaija! lol), e nem estive à espera as horas seguidas que o resto da malta esteve... Enfim, é o caruncho a aparecer!
(claro que quando MK Ultra desabou em cima de nós, passou o caruncho todo, é remédio santo, quando estiver em casa a sucumbir à nostalgia, saco do H.A.A.R.P para me reanimar - tenho-o há muito pouco tempo, deves por isso imaginar a minha fascinação!)
Paula Pinto a 30 de Maio de 2010 às 18:14
nao podia concordar mais ctg!!!!!
márinho a 29 de Maio de 2010 às 23:04
Sinceramente, tive a ler todos os comentários, e nenhum me satisfez ou pela solidez de ideias, ou pela expressividade dos mesmos. Acontece que sou fã de MUSE desde 2007. E não, não foi nem pelo twilight, nem pelo Resistance. Foi mesmo pela vinda deles ao RIR em 2008. E pelo Guitar Hero 3, onde os MUSE foram estrelas. Adiante, não me fiquei pelo album deles da altura, BH&R. Aliás, antes do RIR 2008, só ouvia TiR, Starlight, KoC e Supermassive. Depois do RIR, e de ver a sua actuação, a melhor da noite a par dos Kaiser Chiefs, percebi que habia algo neles de especial.
Fui então procurar por mais músicas, e ofereceram-me o BH&R. Fui comprar tambem o HAARP. E vi o DVD várias vezes nesse verão, enquanto fazia ginásio em casa. Adorava a performance deles no HAARP, e percebi que haviam mais musicas de qualidade não vindas no BH&R. Procurei e encontrei Absolution. Ouvi, reconheci várias, e adorei outras. Mas os MUSE (que neste momento, e para mim, são a melhor banda do mundo) têm um efeito muito sugeniris em mim. Oiço algumas e não gosto. Oiço outra vez, e vou gostando mais. Porque o que acontece, é que a sua musicalidade genial tarda a fazer efeito, pois a magia de ser tão diferente é dificil de entrar. Lembro.me tão bem de ter escutado Thoughts of a Dying Atheist, e ter achado uma porcaria. Passado uns dias, adorava aquela música. Encontrei depois Origin of Symmetry, reconhecendo a grandiosa PiB, e escutei as outras. Gostei, mas não me cativou (de inicio!!). Encontrei então Showbiz. Devo dizer que este album me parecia fraco. Talvez por ser o primeiro dos MUSE, quando ainda estavam a dar os primeiros acordes. Comecei a ouvir com mais atenção e percebi que sim, eles já eram mestres. Não do seu estilo, não da sua música, mas da sua vontade de superar qualquer cliché implantado pelas músicas do novo milénio. Surgiram-me músicas como Uninteded, Sunburn e Fillip. Cave mais tarde e Muscle Museum ainda mais tarde. Mas ficaram-me no ouvido ao ponto de as ouvir sempre que jogava. Fui então ver antigos concertos e fiquei espantado pela "brutalidade" e "Rebeldia" com que eram produzidos.
Passou-se então algum tempo, e transmiti os meus pensamentos aos demais em meu redor. A minha namorada que estuda música, adora os MUSE, por causa de mim, e tal como eu acha.os únicos. A minha mãe (que adora PINK FLOYD, Queen, Trovante) diz que a capacidade dos MUSE de produzirem música é de génio, e inclusivé diz que a KoC é um hino ao Rock Alternativo.
Chegou então Resistance (lembro-me de ter sacado pela net, não podia simplesmente esperar), e lembro-me de ter adorado Uprising, Resistance, MK Ultra, Unnatural Selection. As outras, "Bleh". Mas fui escutando, e tal como outrora havia acontecido, a genialidade das suas músicas despertou em mim. Até Undisclosed Desires, que nada tem a ver com o seu estilo antigo, me faz feliz. Mas agora pergunto a todos os MUSERs, se leram a minha história, acham que os MUSE têm um estilo predefinido? Sâo eles uma banda como todas as outras, em que album após album a musicalidade é sempre a mesma?
Resposta: AINDA BEM QUE NÃO. Os MUSE conseguiram aquilos que pouco conseguiram (PINK FLOYD, QUEEN), que foi criar o seu próprio estilo de mistura Rock, com Clássico passando pelo R&B. Estilo? Chama-se aMUSEd, e sim é música. O que vos quero dizer com isto, é que, não critiquem a melhor banda do mundo por mudar. A metamorfose torna o seguinte mais belo que o anterior, e há-de chegar a altura em que os MUSE conseguirão fazer o album para todos os gostos. Eu? Adoro todos, dou 10 a todos, todos tem músicas excpepcionais, todos são de MESTRE. Em relação à nova, Neutron Star Collision. Odiei ao inicio. Amo agora. É assim.. MUSE são assim para mim. Identifico-me com eles, após escutá-los. Façam isso tambem. Escutem com o coração e não comecem logo a pensar no inicio da musica (vai sair daqui porcaria).
Não tenho album ou musica preferida. Cada semana oiço mais umas que outras. Depende sempre do meu estado. Mas que mudaram a minha vida, mudaram. As suas teorias, as suas letras (criticadas por muitos) fazem tanto sentido no quotidiano. E como a minha mãe me disse: Oxalá mais bandas se preocupem com o mundo actual e vos ensinem algo (em relação à letra da Uprising).
Em relação aos concertos.
Como disseram os Snow: Best Live Band, MUSE! :)
Mike a 30 de Maio de 2010 às 02:11
Vou só realçar algo que se calhar não disse claramente.

Eu não desgosto dos últimos albuns. Muito pelo contrário!! Ambos têm musicas ao nivel dos anteriores. A única coisa que não gosto neles foi a "fama" e a gama de fãs que com eles veio atrás. Por isso, a mudança de estilo não me chateia porque adoro as músicas na mesma, mas A MEU VER foi mau porque atraiu uma série de maus ouvintes que moldou de certa forma a banda negativamente (principalmente na postura como banda e na sua actuação ao vivo).

Eu sei que quem é fã deles há 2 anos não consegue entender o que eu quero dizer porque não acompanhou a transição. Mas o mínimo que podiam fazer era procurar redescobrir a banda (porque não é impossivel) em vez de se dizerem que é o melhor eles que já fizeram até hoje. Porque se mesmo assim o continuarem a achar...o que eu acho é que têm mau gosto :P

(pelos coments eu já entendi que por este blog não devem passar mais nenhuns fãs antigos, por isso vou desistir de chamar por eles. Mas também acho que dá para ter conversas agradáveis com alguns que cá andam! por isso desenvolvam!
Oldschool...we'll never walk alone...
... a 10 de Junho de 2010 às 01:57
Concordo contigo Mike
Anna a 31 de Maio de 2010 às 00:57
Eu vi-vos, estavam mesmo ao nosso lado antes do concerto começar!

http://i45.tinypic.com/jfaid4.jpg

http://sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-snc3/hs318.snc3/28582_121622691211177_100000903391145_106766_2192034_n.jpg

nós tinhamos esse cartaz.
João Miguel a 31 de Maio de 2010 às 22:55
Oh, eu lembro-me de vocês, o vosso cartaz estava excelente! (:
Espero que eles lhe tenham dado atenção.

muse.PT a 1 de Junho de 2010 às 18:30
A pessoa que falou melhor até agora neste post foi o Mike. Concordo em tudo, mesmo.
MuseFansPT a 8 de Junho de 2010 às 23:26
Copyright © 2008-2010 Inês Leal & Maria João Sousa

Twitter - @MusePortugal LastFM - Grupo MusePortugal Facebook - Grupo MusePortugal

Forum MusePortugal
COMENTÁRIOS
Com sorte talvez lá para os festivais de verão. Co...
Olá Bruna, Para já não há informações sobre nada r...
Gostava de saber se já há informações do proximo c...
ARQUIVOS
2010:

 J F M A M J J A S O N D

2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

MusePortugal

Equipa MusePT:
- Inês Leal
- Maria João Sousa
- Rafaela Guerreiro

Fórum MusePT:
- Tiago Santos

Visitas:contador de visitas
Online: musers online
Contacto: museportugal.pt@gmail.com

Muse - Exogenesis Part I: Overture
POLL
TWITTER